No DF: Polícia Civil investiga morte de capivaras encontradas com marcas de tiros no Lago Paranoá.

Dois dos três animais mortos apresentavam perfurações. Carcaças foram recolhidas ao Hospital Veterinário da Universidade de Brasília (HVet-UnB), que fará necropsia.

A Polícia Civil investiga a morte de três capivaras encontradas, nesta sexta-feira (24), às margens do Lago Paranoá, em Brasília. Segundo a investigação, dois dos animais apresentavam marcas de tiros.

O caso foi registrado na Delegacia de Combate à Ocupação Irregular do Solo e aos Crimes Contra a Ordem Urbanística e o Meio Ambiente (Dema). De acordo com os investigadores, a carcaça dos animais mortos foram recolhidas e encaminhadas ao Hospital Veterinário da Universidade de Brasília (HVet-UnB).

Os policiais informaram que os profissionais da unidade vão submeter o corpo dos animais à necropsia. Além disso, agentes compareceram ao local onde as capivaras foram encontradas e fizeram perícia.

Animais encontrados

Ao g1, o policial civil Sérgio Marcos Figueiredo, de 49 anos, contou que encontrou os animais no momento em que remava no Lago Norte. “Estava no caiaque, quando vi alguns urubus e encontrei uma das capivaras. Em seguida, achei outra e comecei a achar estranho”, comentou.

Segundo o investigador, pessoas que estavam no local comentaram sobre uma terceira capivara morta. “Quando cheguei mais perto, vi que elas tinham perfurações de projéteis. Em seguida, informei a polícia”, afirmou.

Sérgio comentou que a presença dos animais são comuns na área e que se preocupou com a possibilidade de alguém estar praticando caça ou querendo maltratar os animais. O policial disse ainda que havia outra capivara morta no local.

A capivara é o maior roedor herbívoro do mundo, um animal adulto pode pesar 70 kg. Segundo especialistas, o macho da espécie pode ser identificado por uma glândula sebácea, localizada no focinho.

A capivara se alimenta de capins e ervas comuns em várzeas e alagados. Em algumas regiões, e até nas cidades pela falta de predadores, muitos grupos se tornam maiores e as populações ficam fora de controle.

Por outro lado, entre as décadas de 60 e 70, as capivaras foram muito caçadas especialmente na região do Pantanal, quando eram comercializados a pele e o óleo do animal para uso medicinal.

Capivara é encontrada morta com marca de tiro, no DF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *